Depressão em Idosos: Quais as Causas e Tratamentos?

Idosa olhando na janela com depressão

Segundo o levantamento realizado pela Pesquisa Nacional de Saúde mais recente, de 2013, a depressão em idosos é um problema que atinge cerca de 11,2 milhões da população de terceira idade no Brasil.

Apesar disso, esse é um assunto que ainda não possui um debate tão amplo quanto deveria.

Um dos grandes problemas desse tipo de distúrbio é que ele muitas vezes se manifesta de maneira discreta.

Os sinais, para muita gente, podem parecer típicos da terceira idade, como o isolamento social.

E com isso, a doença pode se agravar ainda mais caso não seja diagnosticada corretamente e de maneira precoce.

É essencial conhecer mais à fundo esse tipo de distúrbio, tanto para combatê-lo de maneira mais efetiva, como ajudar na prevenção.

Por isso, nesse post, separamos tudo o que você precisa saber sobre a depressão em idosos.

Prevalência da Depressão em Idosos

A depressão em idosos, segundo dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), tem uma prevalência maior em pessoas da terceira idade que necessitam de cuidados em casa.

A taxa nesse caso é de 13,5%.

Já em pacientes hospitalares mais idosos, o índice de surgimento desse tipo de distúrbio é de 11,5% e na população em geral é entre 1% a 5%.

O elevado percentual de depressão em pessoas mais idosas se dá porque geralmente os sintomas dessa doença se assemelham bastante com problemas normais relacionados à idade.

Com isso, muitos indivíduos não obtém um diagnóstico correto, e acabam nem tratando esse tipo de distúrbio como deveriam.

É comum, por exemplo, que os sinais sejam atribuídos a:

  • Uso de determinados medicamentos;
  • Estilo de vida;
  • Outros problemas associados a idade.  

É preciso ter em mente que em muitos casos essa doença se manifesta como uma comorbidade, ou seja, quando existem duas ou mais doenças na mesma pessoa.

É comum, por exemplo, que pessoas da terceira idade que tenham suas capacidades físicas prejudicadas por conta de uma doença em específico, acabem desenvolvendo depressão.

Isso também ocorre com muita frequência entre indivíduos que precisam de auxílio de terceiros, como enfermeiras, para executar tarefas cotidianas como se alimentar.

O que causa a depressão em idosos?

Diversos fatores podem desencadear a depressão em idosos. Tanto físicos quanto emocionais.

E dentre os principais, estão:

  • Problemas de saúde

Problemas de saúde podem sim desencadear a depressão na terceira idade. Isso porque a depressão é considerada um “aglomerado” de vários tipos de doenças.

Além disso, questões como dores intensas/crônicas, incapacidade física, declínio cognitivo, entre outros, também pode contribuir para o surgimento desse problema de saúde.

  • Isolamento

A medida que os anos passam, é comum que os idosos acabem ficando isolados. Seja porque os filhos cresceram e agora estão seguindo suas vidas, ou por qualquer outro motivo.

E esse tipo de condição também pode contribuir com o surgimento da doença.

  • Luto recente

A dor causada pelo luto recente também pode ser um dos fatores que causa a doença. O baque emocional causado por esse tipo de acontecimento é muito grande!

É comum que pessoas idosas que tenham perdido amigos e familiares desenvolvam depressão.

  • Mudanças hormonais

A depressão também pode ocorrer por conta de mudanças hormonais.

Isso porque, quando nosso corpo não produz certos hormônios em quantidades corretas, a tendência é que nos sintamos infelizes, sem energia e até mesmo sem vontade de viver.

Sinais e sintomas da depressão na terceira idade

O diagnóstico da depressão em idosos é feito por meio da identificação de sinais.

É importante ressaltar que eles podem ser confundidos como de decorrência de outras doenças.

Por conta disso, é importante que a pessoa idosa visite um especialista para realmente realizar avaliações específicas que possam ajudar na identificação.

Confira abaixo alguns dos sintomas:

  • Dores inexplicáveis;
  • Tristeza;
  • Perda de peso ou perda de apetite;
  • Falta de energia;
  • Distúrbios do sono;
  • Baixa autoestima;
  • Uso de álcool ou outras drogas;
  • Pensamentos de suicídio;
  • Movimentos lentos;
  • Isolamento social.

É importante ressaltar, no entanto, que esses sintomas nem sempre aparecem todos juntos.

Na verdade, muitas vezes a pessoa pode ter apenas alguns, e mesmo assim estar com depressão.

Como Diferenciar a Depressão da Demência

Mulher idosa com depressão

A depressão e a demência são constantemente confundidas. Isso porque, ambos os distúrbios possuem alguns sintomas parecidos.

Sendo assim, é importante conhecer os sinais específicos de cada um para assim ter mais facilidade na identificação.

Basicamente uma pessoa com depressão vai apresentar um rápido declínio mental.

O idoso se mostra apático, mas consegue dar informações corretas, como o dia da semana e a hora.

Ele também tem dificuldade em se concentrar e suas habilidades motoras são mais lentas, contudo dentro da normalidade, assim como a linguagem.

A pessoa idosa com depressão apresenta confusão mental. Além disso, ela consegue se dar conta dos sintomas, mesmo que muitas vezes tente ignorar.

Por outro lado, no quadro de demência, o paciente tem um declínio mental mais lento.

O idoso age de forma confusa e desorientada, passa a confundir datas, apresenta uma perda de memória de curto prazo.

Além disso, diversas habilidades, desde a fala até motoras, são prejudicadas. E as pessoas com demência geralmente não percebem os sinais desse distúrbio com facilidade.

Existe Tratamento para Depressão em Idosos?

Uma vez que o diagnóstico é feito, o paciente então é encaminhado para um tratamento adequado.

Atualmente existem várias alternativas para tratar a depressão em idosos, entre elas estão:

  • Psicoterapia

Uma das opções de tratamento mais populares é a psicoterapia (Terapia Comportamental Cognitiva).

O objetivo desse tipo de opção é ajudar na identificação das raízes do distúrbio, bem como mudar pensamentos que funcionem como gatilhos para os sentimentos depressivos.

  • Grupos de apoio

Mais uma das formas de tratar a depressão em idosos é por meio dos grupos de apoio.

Muitas vezes o compartilhamento de experiências ajuda a criar um apoio social para o paciente.

Além disso, esse tipo de encontro pode promover a interação social da pessoa idosa, o que ajuda diretamente no combate a doença.

  • Medicação

É preciso ter em mente que a depressão pode ser desencadeada por conta de mudanças hormonais. Consequentemente, é muito comum que seja necessário o uso de medicamentos.

E como as vezes ela está relacionada a outra doença, é necessário tratar o distúrbio principal e depois a comorbidade (Comorbidade é a existência de duas ou mais doenças em simultâneo na mesma pessoa ).

  • Alterações no estilo de vida

Alterações no estilo de vida, como praticar exercícios físicos, ter uma alimentação melhor e até mesmo buscar atividades em grupo também são formas de tratar esse distúrbio.

Dicas para Evitar a Depressão na Terceira Idade

Para evitar a depressão em idosos, é possível tomar alguns cuidados básicos, tais como:

O idoso precisa se manter conectado às pessoas

Uma das maneiras de evitar que esse tipo de distúrbio surja é se manter conectado às pessoas. O isolamento é uma das principais causas da doença.

Logo, ao evitar o isolamento você acaba diminuindo as chances desse tipo de mau surgir.

A Pessoa da Terceira Idade Precisa Manter hábitos saudáveis

Mais uma das formas de evitar o desenvolvimento de depressão em idosos é por meio da adoção de hábitos saudáveis.

Essas mudanças de vida ajudam o corpo e a mente a terem equilíbrio.

Além disso, elas também podem trazer outros benefícios:

  • Mais energia e disposição no dia a dia;
  • Ajuda a reduzir os riscos de desenvolvimento de várias doenças;
  • Melhora o condicionamento físico;
  • Melhora o humor.

Entre os hábitos saudáveis que o idoso pode adotar para conseguir evitar a depressão estão:

  • Manter uma alimentação balanceada;
  • Evitar vícios como o consumo de álcool e cigarro;
  • Praticar exercícios físicos.

Cuidar de um animal de estimação

Uma das maiores dificuldades entre os idosos é evitar o isolamento social. Vários fatores podem fazer com que a pessoa idosa acabe se isolando.

Desde se sentir um estorvo para os filhos, até a morte de conhecidos e entes queridos.

Nesse sentido, cuidar de um animal de estimação pode ser uma excelente alternativa.

Isso porque, além do indivíduo ter um pet para focar a sua atenção, o animalzinho doméstico também poderá fazer companhia para ele em diferentes momentos.

Com isso, o idoso consegue evitar a sensação de isolamento.

Participar de atividades em grupo

Mais uma das formas de evitar a depressão em idosos é incentivar a participação de atividades em grupo.

Esse tipo de inclusão pode auxiliar e muito o idoso.

Isso porque, ele poderá se sentir parte integrante de um grupo novamente, evitando assim o isolamento.

Além disso é preciso ter em mente que várias atividades do gênero podem ajudar em outros aspectos da saúde física e mental.

É o caso, por exemplo, de atividades que exijam habilidades motoras como futebol, caminhada e Pilates.

Essas práticas são extremamente benéficas pois estimulam o idoso a se movimentar, o que pode ajudar a diminuir as chances de doenças como dores crônicas.

Aprender uma nova habilidade

Mais uma das dicas para reduzir as chances de desenvolvimento dessa doença é desenvolver uma nova habilidade.

Muitas vezes as pessoas caem em depressão porque os pensamentos negativos tomam conta da mente.

Ao aprender uma nova habilidade, você pode redirecionar a sua atenção para o aprendizado.

E com isso, dificilmente terá espaço na sua mente para os pensamentos negativos.

Além disso, é necessário levar em conta que aprender coisas novas faz bem para o cérebro.

Isso porque, você acaba estimulando as suas funções cerebrais, evitando assim o declínio mental, e até mesmo o surgimento de doenças neurodegenerativas.

Ser voluntário

Muitos idosos, ao se aposentarem, acabam desenvolvendo depressão por acharem que não são mais úteis na sociedade.

Como a maioria dos idosos já não trabalha mais, eles acabam tendo essa sensação de insignificância, o que é um grande erro.

Para que o indivíduo possa se sentir útil novamente, uma das dicas é investir em serviços voluntários.

Por meio deles a pessoa irá auxiliar outros que precisem de ajuda e consequentemente será ajudada, à medida que terá interações sociais e se sentirá parte integrante de uma comunidade.

Investir nos cuidados com a aparência

A autoestima é um dos pilares da nossa saúde mental.

Quando não nos sentimos bem com nós mesmos, as chances de distúrbios como a depressão surgirem, são bem maiores.

Por conta disso, uma das dicas para evitar esse tipo de doença é investir em cuidados com a aparência, uma vez que ela também interfere no modo como você enxerga a si mesmo.

Se você mantém um visual de seu agrado, a sua autoestima sobe.

E com isso há menos chances de você acabar tendo depressão. Então passe a cuidar da aparência e veja como isso fará toda a diferença no seu dia a dia.

Viajar

Viajar também pode ser uma boa alternativa para evitar a depressão em idosos.

Muitas pessoas idosas, depois que os filhos e até netos saem de casa, acabam se sentindo sozinhas e sem ter o que fazer.

Contudo, esse é o tipo de momento que abre portas para a pessoa começar a viajar e conhecer novos lugares.

É preciso ressaltar, inclusive, que não é necessário investir em viagens caras.

Um simples final de semana na praia ou na cidade vizinha, por exemplo, já pode ser o suficiente para o indivíduo conseguir experimentar novos ares e assim livrar a mente de pensamentos negativos que possam trazer tristeza.

Usar a tecnologia ao seu favor

Com a era digital, se tornou muito mais fácil ficar próximo das pessoas, mesmo que elas estejam longe.

Existem várias ferramentas que permitem que a pessoa idosa interaja e fale com seus entes queridos, amigos e familiares.

Redes sociais, WhatsApp e Skype são bons exemplos de plataformas que aproximam as pessoas que estão longe geograficamente falando.

O idoso pode, por exemplo, conversar com os filhos que já não moram mais com ele.

Contudo, é importante ressaltar que jamais as relações virtuais devem tentar substituir as reais.

Ter um Psicólogo

O psicólogo é um profissional que não deve ser procurado apenas quando você sente que alguma coisa está errada com o seu emocional.

Todos devem consultar esse tipo de especialista como uma forma de melhorar o próprio bem-estar emocional.

Isso porque, ele pode ajudar você a entender uma série de aspectos de sua vida.

Desde dificuldades para se relacionar com novas pessoas, até mesmo lidar com o processo natural de envelhecimento.

Logo, uma das dicas para evitar a depressão em idosos é falar com um psicólogo.

Conclusão

Esse é um distúrbio mais comum do que muita gente imagina.

E é essencial debater mais sobre o assunto, para que mais pessoas saibam como identificar esse tipo de doença.

Além disso, é necessário ampliar os cuidados em relação ao bem-estar e qualidade de vida das pessoas de terceira idade, como uma forma de prevenção.

Assim é possível diminuir os índices de depressão em idosos, bem como ajudar no tratamento daqueles que já têm o distúrbio.

E você, possui um avô/avó ou algum amigo(a) da terceira idade que está passando por esses problemas? Como você tem atuado para ajudá-los?

Conta pra mim aqui nos comentários! Se você gostou do artigo, compartilhe em suas redes sociais!

Monica Levy

Mônica Levy é Psicóloga, Enfermeira e possui Mestrado em Educação e Saúde, com mais de 25 anos dedicados a saúde física e mental. Possui qualificação acadêmica em instituições públicas de excelência e uma vasta e incrível grade extracurricular. Possuindo assim , um currículo com diversas capacitações e competências, unidas a uma vasta experiência.

2 comentários em “Depressão em Idosos: Quais as Causas e Tratamentos?

  1. A diferença entre: Demencia e pressão foi muito útil.
    Agora consigo diferenciar e entender o comportamento de um enti querido.
    Muito obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =