ESQUIZOFRENIA: Conheça os Tipos, Sintomas e Tratamentos

Que tal você a partir de agora, poder levar uma vida mais leve, mais feliz, com qualidade, sem ter medo de passar vergonha ou constrangimentos.

Se essa mudança te interessa, Leia esse artigo até o final e prepare-se para uma transformação!

1-Como Transformar A Esquizofrenia Em Cidadania ?

2-Mas Quando a Esquizofrenia Começa a Aparecer?

3-As Causas

4-Sintomas

5-Agora, Você Vai Enfrentar a Esquizofrenia?

6-Sintomas Negativos, cuidado! São Incapacitantes

7-Como Enfrentar a Doença, Antes Que Seja Incapacitante

8-Tipos de Esquizofrenia

9-Diagnóstico

10-Exames Físicos

11-Avaliação

12-Esquizofrenia tem cura?

13-Medicamentos: A Rejeição Superada

14-Intervenções Psicossociais

15-A Contribuição Das Barras de Access®

1- Como Transformar A Esquizofrenia Em Cidadania?

  • Tem medo, de você ou seu ente querido, ter Esquizofrenia?
  • Você prefere acreditar que é uma Depressão?
  • Que é uma Bipolaridade?
  • Ou até mesmo uma possessão espiritual?

Você disse sim para alguma dessas perguntas?

Então Continue lendo até o final desse artigo, depois volte até aqui e responda as mesmas perguntas e surpreenda-se com as suas respostas!

Eu sei que você, já escutou a palavra maluco ou louco em algum momento, porque comportamentos diferentes, recebem logo esse rótulo, não é mesmo?

Pensando nisso eu fui buscar o significado da palavra maluco. A explicação que eu achei mais esclarecedora foi a do Dicionário Online de Português ( dicio.com.br/maluco).

Ele refere o termo como quem: “…não tem lógica da realidade, (…) quem diz coisas sem nexo, (…) quem sofre de algum distúrbio mental”

De fato o “maluco”, muitas vezes perde a noção do que é realidade e do que são as suas próprias produções e aqui nesse artigo , vamos chamar de sintomas, mas daqui a pouco vou explicar isso.

Antes vamos entender, devido a essas produções tão singulares, essas pessoas, acabam perdendo o contato com a realidade.

Eles rompem muitas vezes com o que é visto e percebido por todos, e ficam num mundo que só faz sentindo para eles.

Cientificamente as pessoas que rompem com a realidade, tem uma doença denominada de Psicose.

Nesse artigo eu ficarei restrita a falar da Esquizofrenia, embora existam outras psicoses.

Como sabemos, os rótulos e piadas de mal gosto estão presentes nas pessoas com transtorno mental e isso traz um grande sofrimento, porque vem repleto de preconceitos.

2- A Esquizofrenia Quando Começa a Aparecer?

Em geral ela aparece aproximadamente no final da adolescência ou início dos 20 anos, nos homens.

Nas mulheres, a tendência é entre os 20 e 30 anos.

Entretanto, o período entre o início dos sintomas e o início da psicose propriamente dita, podem durar dias, semanas ou até anos.

Às vezes, pode ser difícil reconhecer esse período, porque pode ser confundido com o jeito da pessoa ser, especialmente em adolescentes.

Além disso, os sinais e sintomas podem variar de episódio para episódio e de acordo com o tipo de Esquizofrenia, mas eu falarei disso mais adiante.

3- As Causas

  • Eu tenho certeza que você já se perguntou, Por que comigo? Por que com meu filho? Por que com a pessoa que eu amo?

A causa é bastante controversa, pois não há unanimidade entre os autores importantes, que tratam do assunto.

Alguns autores justificam através de causas genéticas , outros genéticas e psicossociasis, outros ainda atribuem apenas a causas psicossociais.

  • Eu sei que você está cansado de ficar procurando de alguma forma entender os comportamentos esquisitos, não é mesmo? Então vamos lá

4- Sintomas

Os sintomas positivos, Apesar do Nome Trazem Sofrimento

Eu quero te dizer que os delírios e as alucinações são alterações, sintomas, muito presentes na Esquizofrenia e se caracterizam por uma forma alterada de perceber a realidade, esses sintomas ocorrem, principalmente quando a pessoa está na fase aguda da doença.

A pessoa tem dificuldade de distinguir entre o que é real e o que é imaginário, ou seja, pensamentos, visões, sensações, vozes, sentimentos, entre outras coisas que são fabricadas pela própria doença.

Eu vou te explicar ainda de forma mais específica.

  • Os Delírios ou ideias falsas

As pessoas apresentam crenças falsas, que podem assumir muitas formas, tais como delírios (idéias) de perseguição ou podem pensar ( ter idéias) que têm poderes e habilidades extraordinárias , ligados em geral a fatos religiosos.

  • Alucinações

Ouvir vozes, mas que só eles escutam. Essas vozes, dão comandos ou conversam com o indivíduo, esse tipo de alucinação é a mais comum.

Mas existe a alucinação visual, nela a pessoa, e só ela vê, pessoas, capetas, dentre outras coisas.

Ainda existem alucinações em que a pessoa sente cheiro e sabor que não são sentidos por mais ninguém.

No entanto, pessoas com Esquizofrenia podem experimentar uma ampla gama de alucinações, podem ouvir, ver, sentir toques, cheiros.

É frequente que esteja presente, mais de uma alucinação.

O que torna as coisas bem dificeis é que a pessoa, não sabe que os delirios e alucinações, são sintomas da própria doença e não são verdadeiros.

E é claro que tudo isso causa uma grande confusão entre a própria pessoa, os familiares e amigos.

Mas existem outros comportamentos que te fazem sentir inseguro, ou te deixam em situações difíceis, não é mesmo? Mas saiba que eu estou aqui para ajudar você!

Então vamos adiante para entender o que se passa.

  • Pensamentos e discursos descoordenados

As pessoas com Esquizofrenia durante uma conversa, mudam de um assunto para outro, de uma maneira absurda.

Elas podem ainda criar suas próprias palavras ou sons, rimar de uma maneira que não faz sentido ou repetir palavras e ideias.

  • Comportamentos desorganizados

Isso pode variar, como ter problemas com comportamentos de rotina, como higiene ou escolher roupas apropriadas para o clima, por exemplo.

Pode ainda ter ações desinibidas, como andarem pelados, abordarem uma pessoa de forma mais sexualizada, dando cantadas, dentre outros comportamentos inadequados.

A pessoa também pode ficar agitada, tensa, andar de um lado para o outro, muitas vezes sem razão aparente. Pode inclusive partir para a agressividade física.

Aqui chegamos a um ponto polêmico, você certamente já ouviu a seguinte frase: Maluco, Eu tenho medo dele!

Agressividade: Vamos entender o por que disso?

Basicamente o que ocorre é que, conforme eu já falei, a pessoa com essa alteração mental , tem diversas alterações, como os delírios, as alucinações, dentre outros.

Então vamos exemplificar, um esquizofrenico, que devido as alucinações e delírios, vê um homem, com uma faca ( alucinação) e ainda tem um pensamento de que ele irá atacá-lo (delírio).

A pessoa que “vê” e “pensa” assim vai defender-se desse ataque! E que forma? Atacando antes que ele sofra o ataque.

E se você estiver próximo, corre o risco dele pensar que você também está prestes a atacá-lo. Então nesse momento pode sobrar também para você.

Vamos imaginar outra situação, ele pode pensar (delírio) que você vai fazer algum mal para ele, bater nele por exemplo, então vai se defender, de que forma? Atacando você!

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o Esquizofrênico, não é mal, malvado, ou coisa parecida. Os perigosos que maltratam e/ou matam são aquelas pessoas que tem personalidades doentias como os psicopatas e os perversos.

Existe ainda o delírio de ciúmes, mais presente nos bipolares e nos alcoolistas, que podem cometer os chamados crimes passionais. Porém esses são outros temas.

Agora, Você Vai Enfrentar a Esquizofrenia?

Antes de prosseguir, gostaria de trazer uma reflexão.

Como você viu até aqui, os sintomas dessa patologia são bastante difíceis de serem compreendidos, mas ainda são piores de serem sentidos, porque eles trazem um sofrimento intenso para a própria pessoa, mas também para familiares e amigos.

Acredito que isso já justificaria um tratamento levado a sério.

Mas infelizmente as consequências dessa doença não param por aí, é necessário um adequado acompanhamento para evitar que as crises ocorram.

Mas o que vem a ser isso? São aqueles momentos em que os sintomas que eu citei acima aparecerem de forma intensa.

E se você está pensando que é apenas pelo sofrimento, você está enganado!

Eu quero ressaltar a importância de não entrar nesses sintomas, porque a cada crise a pessoa vai perdendo um pouco de quem ela é, vai perdendo a capacidade de sentir, criar, estudar, se cuidar, entre outras habilidades.

Espera! Tem algo que preciso dizer.

Não tomar medicamentos como prescrito, o uso de álcool ou drogas ilícitas, e situações estressantes tendem a aumentar a chance de novas crises.

Então eu apresento aqui a você alguma das perdas sofridas pelos Esquizofrênicos.

6- Sintomas Negativos, cuidado! São Incapacitantes

Os sintomas negativos são as perdas que você deve evitar a todo custo. Dentre os sintomas negativos, os mais frequentes são:

  • Retraimento social

Não sente mais vontade de manter um contato social, porque perde a vontade de estar desfrutando da companhia de outras pessoas.

  • Apatia extrema

Falta de interesse, motivação ou entusiasmo. A perda da iniciativa. Ações cotidianas simples, como lavar, cozinhar, tomar banho são negligenciadas.

  • Embotamento afetivo

Afeto reduzido e má expressão de emoções. Faltam respostas adequadas para ocasiões felizes ou tristes, tudo passa a ser um “tanto faz, como tanto fez!”

  • Dificuldades cognitivas

A capacidade do paciente de se concentrar, lembrar de coisas, planejar com antecedência e organizar sua vida é afetada. A comunicação fica mais difícil.

Com tudo isso quero dizer que, a Transtorno grave afeta a maneira como a pessoa pensa, sente e age, como ela se vê no mundo.

Muitas vezes pode ser uma luta ao longo da vida, se a pessoa não procurar e manter o tratamento de forma correta.

7- Como Enfrentar a Doença, Antes Que Seja Incapacitante

A necessidade de conhecer os tipos da doença, se faz necessário para que você desconfie ou identifique, o mais rápido possível e busque ajuda o quanto antes.

Dentre os diversos tipos de Esquizofrenia, destacamos os mais frequentes e/ou graves.

8- Tipos de Esquizofrenia

Os tipos de esquizofrenia são definidos pelos sintomas, descrevo abaixo as características de algumas tipos.

  • Paranóide

Um dos tipos mais conhecidos de esquizofrenia. A principal característica do tipo paranóide, consiste na presença de ideias delirantes e alucinações auditivas, de que alguém o está perseguindo, ou desejando fazer mal.

Não apresenta alterações claras na afetividade ena linguagem.

Fundamentalmente, ideias delirantes são de perseguição. Os sintomas associados incluem ansiedade, raiva, e tendência para argumentar.

O início pode ser mais tardio do que em outros tipos de esquizofrenia.

  • Catatônica

Quando as pessoas experimentam rigidez tal, que elas são incapazes de falar, responder ou até mesmo se mover.

Aqueles que sofrem de catatônia permanecem nesse estado imóvel por longos períodos de tempo.

Elas podem ficar em posições de aparência desconfortável e resistem a tentativas de reposicionálos.

  • Simples

Embora os sintomas da esquizofrenia simples sejam geralmente leves, há riscos envolvidos com esse transtorno mental.

Um dos maiores perigos da esquizofrenia simples é o de desenvolver sinais mais graves de um tipo mais específico.

  • Residual

Nesse tipo as limitações já são grandes, são em decorrência de vários episódios de crise. E os sintomas negativos são predominantes.

Alucinações e delírios podem estar presentes, mas o que mais chama a atenção são os sintomas negativos, que permanecem.

Portanto, para caracterizar esse tipo de esquizofrenia, os profissionais da saúde levam em conta o fator tempo e fazem
comparações entre como a pessoa era antes de ter o avanço da doença e como ela fica depois.

Aqui os desejos, afetos, os afazeres do cotidiano, já estão muito comprometidos.

Se você chegou até aqui eu quero te dizer que você não está sozinho! Eu sei perfeitamente o que é isso que você sente, porque eu convivo a muitos anos e diariamente com pessoas que assim como você, estão sofrendo.

Seja você a pessoa com a esquizofrenia ou o familiar. Mas precisamos encarar e superar os entraves, não é mesmo? Então, vamos lá!

9- Diagnóstico

O diagnóstico de esquizofrenia envolve a exclusão de outras condições de saúde mental e a determinação de que os sintomas não são devidos a abuso de substâncias, medicação ou algumas patologias orgânicas, como sífilis num estágio avançado da doença, por exemplo.

Determinar um diagnóstico de esquizofrenia pode incluir:

10- Exames Físicos

Isso pode ser feito com a ajuda de equipamentos hospitalares para ajudar a descartar outros problemas que possam estar causando os sintomas e para verificar se há alguma causa relacionada.

11- Avaliação

O profissional de saúde e mais especificamente o profissional de saúde mental.

Verifica o estado mental, observando a aparência e o comportamento e perguntando sobre pensamentos, humores, alucinações, uso de substâncias e potencial para suicídio.

Isso também inclui uma discussão sobre histórico familiar e pessoal.

12- Esquizofrenia tem cura?

Você não tem que desanimar ao saber que ainda não tem cura.

Mas é importante se empenhar no tratamento para colher os resultados positivos. Quando você “arregaça as mangas” e leva o tratamento a sério, seja o seu, ou do ente querido, então verá o quão bom foi essa sua decisão, esse seu empenho.

Eu trago aqui uma frase de Anthony Robbins, criador da programação neurolinguistica:

“São nos momentos de decisão e perseverança que seu destino é traçado.”

O tratamento é ao longo da vida, mesmo quando os sintomas positivos diminuem.

A utilização de medicamentos e terapias são fundamentais para a qualidade de vida e tornam possível conviver de forma tranquila com a doença

Você pode perceber como as pessoas quando seguem tudo o que foi recomendado de forma correta ficam bem e raramente necessitam de internação.

Eu estou me perguntando se você tem noção de todas as facilidades que terá para a sua vida, ou de seu ente querido, ao seguir tudo o que eu disse aqui.

Isso porque a necessidade de fazer uso da medicação muitas vezes aparece como um entrave, seja pelo preconceito ou por alguns efeitos colaterais que vão sendo suprimidos ou controlados com o tempo.

Então eu te pergunto: Você deseja garantir a qualidade de vida de forma contínua para a sua vida ou do outro , ou quer fazer um teste e se arriscar e correr o risco de sofrer internação ou adquirir sintomas negativos?

Se você optou pela qualidade de vida, vamos falar então de uma parte muito importante do tratamento que são os Medicamentos.

13- Medicamentos: A Rejeição Superada

A sua rejeição ou preocupação em relação a medicação, vai ser dissolvida na medida em que você percebe todas as facilidades que terá na vida, com o seu uso corretamente prescrita pelo médico.

Os medicamentos são como já vimos, muito importantes no tratamento da esquizofrenia. Os mais comumente utilizados, são voltados para controlar os sintomas positivos e são denominados de antipsicóticos.

O objetivo do tratamento é gerenciar eficazmente os sintomas e com a menor dose possível. O médico é o único profissional que pode receitar essas medicações.

O psiquiatra é o especialista que vai entender o seu caso e passar a medicação mais adequada para você.

Isso inclui, diferentes doses ou combinações ao longo do tempo para alcançar o resultado desejado. O médico pode incluir outros medicamentos, como antidepressivos e/ou medicamentos para diminuir a ansiedade.

14-Intervenções Psicossociais

Uma vez que a Esquizofrenia esteja sobre controle, a pessoa deverá continuar com os remédios e com as intervenções psicológicas e sociais que são muito importantes. Dentre as intervenções, podemos incluir:

  • Psicoterapia individual

A psicoterapia pode ajudar numa reorganização da pessoa, contribui para melhores pensamentos e sentimentos de acordo com a necessidade de cada um.

Contribui ainda para que a pessoa que sofre com a Esquizofrenia, aprenda a lidar melhor com o estresse e identifica os primeiros sinais de uma nova crise.

O treinamento de habilidades sociais, também é importante porque traz uma melhorara na comunicação e nas interações sociais, além da capacidade de participar das atividades diárias.

  • Terapia familiar

A família precisa estar presente, aprendendo a lidar com o Esquizofrênico e para diminuir ou aprender a lidar com os conflitos familiares.

A participação da família é fundamental, pois fornece um apoio importante na reestruturação da pessoa adoecida.

Outro ponto importante da presença da família é na prevenção de uma nova crise.

Prevenindo Uma Crise

Quando a Esquizofrenia está controlada, os sintomas cessam ou melhoram, mas isso não quer dizer que as crises não irão mais ocorrer.

A pessoa portadora de Esquizofrenia ou a família ao identificar os primeiros sinais de uma nova crise, deve buscar ajuda o mais rápido possível, antes que uma nova crise aconteça.

ATENÇÃO: Os primeiros sinais, antes da crise.

  • Dificuldade para dormir;
  • · Alimentação diminuída;
  • · Problemas de concentração ou desorganização;
  • · Ficar longe de outras pessoas ou desaparecer inesperadamente;
  • · Alterações de humor, nervosismo ou irritabilidade;
  • · Ideias estranhas ou pensamento desorganizado;
  • · Falta de higiene pessoal;
  • · Fala que não faz sentido;
  • · Ouvindo vozes;
  • · Delírios, desconfiança ou aumento da paranoia;
  • · Conversa agressiva
  • · Pensamentos suicidas

É importante evitar novas crises, devido aos sintomas negativos, que estão associados a cronificação da doença, conforme já foi explicado anteriormente.

Os sintomas negativos, vão tornando a qualidade de vida mais precária e esse quadro é irreversível.

Dicas para ajudar a prevenir recaídas

Quando você fica atento na prevenção as recaídas, isso se traduz em mais:

  • Liberdade
  • Bem estar
  • Auto Estima
  • Autoconfiança
  • Oportunidades

Então vamos a dicas simples, mas que farão uma grande diferença na sua vida!

  • Tomar a medicação conforme as instruções

O tratamento precisa ser seguido à risca, mesmo que os sintomas da Esquizofrenia tenham desaparecido. Parar a medicação é a causa mais comum de recaídas.

Trabalhar aliado com os profissionais

O médico irá encontrar a medicação mais adequada para o momento e juntamente com outros profissionais podem ajudar a entender o que aconteceu, para haver o desencadeamento dos sintomas, que apontam para uma recaída.

Evitar álcool e drogas ilegais

Eles pioram os sintomas e uma recaída é mais provável. Amigos e familiares podem ajudar a encontrar serviços que tratam de problemas de abuso de substâncias, se for o caso.

Encontrar maneiras positivas de gerenciar o estresse

Para pessoas com Esquizofrenia, o estresse pode desencadear sintomas. Quando a pessoa se sentir sobrecarregada, deve dar um passo atrás e fazer uma pausa.

Se você está apoiando um amigo ou parente com Esquizofrenia, tente ajudá-los a encontrar maneiras saudáveis de relaxar.

Uma boa noite de sono

O sono pode ser um problema para pessoas com esquizofrenia. A prática de exercícios, “desestressar” e limitar a cafeína ajudam na obtenção de um sono reparador.

Reabilitação e Convivência com a Doença

O tratamento pode ajudar muitas pessoas a levarem vidas altamente produtivas e recompensadoras.

Tal como acontece com outras patologias crônicas, alguns pacientes se saem muito bem, enquanto outros continuam a ser sintomáticos e precisam constantemente de um maior apoio e assistência.

A Contribuição Das Barras de Access®

Antes de surgir qualquer dúvida, quero deixar bem claro que eu só trato de pessoas com doenças mentais se elas fizerem também acompanhamento com o médico psiquiatra e o psicólogo.

A terapia com as Barras se integra ao tratamento, mas de forma alguma substitui outros tratamentos.

As Barras de Access®.

Durante a sessão , os processos verbais e todas as 32 barras são utilizadas.

Eu escolho aqui me deter em algumas barras, para esclarecer a forma como atuam ajudando no processo de estabilização da doença.

Banda de Implantes – Aqui ficam armazenados os pensamentos, e as emoções. Tudo o que foi vivenciado pela pessoa e como ela percebeu essas vivências.

A atuação dessas barras colabora na estruturação dos pensamentos, emoções e sentimentos.

Forma e Estrutura – A maneira de como a pessoa lida ou lidou com a sua realidade, de que forma ela reagiu aos acontecimentos do seu passado e de como ela significou a sua realidade e foi adquirindo seus próprios valores.

Ao correr essas barras a pessoa pode ressignificar e dar novos valores a sua forma de ser e ver o mundo.

Consciência – Contribui porque traz essa pessoa para a realidade, porque faz com que ela comece a fazer contato com seus conflitos.

Corpo – Tem a ver com a maneira como o corpo é percebido, nem sempre tem uma correspondência com a realidade.

O esquizofrênico nem sempre tem a percepção correta do seu corpo.

Então ele pode perceber o seu corpo , como se estivesse fragmentado, alterado. Essa barra facilita a pessoa se reconhecer, sem distorções.

Paz e Calma – Atua facilitando a diminuição da ansiedade e da angústia.

Reativação e Recriação –Atuam para que os pontos de vista que foram modificados durante o trabalho, permaneçam e não retornem ao estágio anterior.

Os desafios colocados são constantes, é muito importante enfatizar e apoiar os pontos fortes, para que as pessoas portadoras de Esquizofrenia não vivam em função da doença, mas sim fazer com que elas sintam, como verdadeiramente são, parte integrante e ativa da sociedade.

O impacto positivo que as Barras de Access® tem quando utilizadas em pessoas com Esquizofrenia é maravilhoso, pois eleva a autoestima, autoconfiança, auto-segurança e isso se traduz em bem estar, felicidade e sobretudo Saúde!

Se você leu esse texto até aqui demonstra que você está comprometido com a sua saúde ou do seu ente querido.

Pessoas como você, possam talvez descobrir ainda mais e dominar, tudo o que as Barras de Access® têm para lhe oferecer.

Talvez você vá se surpreender com a simplicidade e eficácia dessa técnica, porque sem sombra de dúvida é surpreendente.

Eu estou curiosa para saber se você querer fazer o Curso de Barra de Access® e vai querer começar a aplicar esses conhecimentos em quem precisa e muito mais. Se você fizer esse curso já na próxima turma, então estará tomando uma excelente decisão pra a sua vida!

Monica Levy

Mônica Levy é Psicóloga, Enfermeira e possui Mestrado em Educação e Saúde, com mais de 25 anos dedicados a saúde física e mental. Possui qualificação acadêmica em instituições públicas de excelência e uma vasta e incrível grade extracurricular. Possuindo assim , um currículo com diversas capacitações e competências, unidas a uma vasta experiência.

1 comentário em “ESQUIZOFRENIA: Conheça os Tipos, Sintomas e Tratamentos

  1. Esse artgo está bastante esclarecedor e de uma forma fácil conseguiu explicar uma doença tao complexa. Já tinha ouvido falar em Barras de Access, mas nunca como uma possibilidade de tratamento as doenças mentais. Parabéns Mônica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − quatro =